O SALVADOR NASCEU! COMO DEVEMOS ACOLHÊ-LO EM NOSSA VIDA?

A Vida e os sofrimentos de Jesus, sua dolorosa Paixão e morte de Cruz, nos leva a concluir que somente Ele poderia salvar a humanidade da perda eterna por causa do pecado original e de nossos pecados pessoais.

Com certeza o Pai não permitira que seu Único Filho amado, voluntariamente se submetesse a tanta dor e sofrimento, se houvesse outro caminho melhor de salvação; se houvesse outro salvador que o pudesse isentar de tanto sofrimento.

Tudo isso nos faz entender com clareza meridiana aquilo que São Pedro disse aos judeus em Jerusalém depois de ter curado aquele aleijado na porta do Templo: “Esse Jesus, pedra que foi desprezada por vós, edificadores, tornou-se a pedra angular. Em nenhum outro há salvação, porque debaixo do Céu nenhum outro nome foi dado aos homens, pelo qual devamos ser salvos” (Atos 4,11-12).

Infelizmente Jesus continua sendo desprezado por muitos que, enganados, pensam que há salvação fora Dele. Só Cristo pode nos salvar porque somente Ele pode oferecer à Justiça divina uma reparação necessária e suficiente, de intensidade Infinita, em vista dos pecados da humanidade, que ferem a Majestade infinita de Deus. Santa Catarina de Sena, doutora da Igreja, disse que: “Sendo Deus um bem infinito, a ofensa cometida contra Ele pede satisfação infinita”. Só a Igreja fundada por Jesus tem o poder de através dos seus ministros, pelos Méritos de Sua Paixão, pode perdoar os pecados e dar a salvação. Ninguém mais. Os que buscam a salvação em outros caminhos estão profundamente enganados.

Então, devemos acolher esse Menino Deus que nasce no Natal, como nosso único Senhor e Salvador, Mestre divino e Redentor. Se entendemos o que Ele fez por nós, só nos resta uma alternativa: segui-lo como seguiram os seus Apóstolos até o fim. Só Ele é “o Caminho, a Verdade e a Vida”. Não há outro caminho de salvação; não há outra verdade que liberte e não há outra vida que perdure por toda a eternidade. Ele deixou tudo isso muito claro: “Eu Sou a Luz do mundo; aquele que Me segue não andará nas trevas, mas terá a luz da vida” (João 8,12).

E disse aos judeus que disputavam com Ele: “Por isso vos disse: morrereis no vosso pecado; porque se não crerdes que Eu Sou, morrereis no vosso pecado” (João 8,24). “Se permanecerdes na Minha Palavra, sereis meus discípulos; conhecereis a Verdade e a Verdade vos libertará” (João 8,31-32). “Se, portanto, o Filho vos libertar sereis verdadeiramente livres” (João 8,36). “Em verdade, em verdade vos digo, antes que Abraão existisse Eu Sou” (João 8,58); quer dizer Eu sou Deus, Eu existia.

Diante de tanta certeza da divindade de Jesus, e de ser Ele o nosso único Salvador, nossa imediata decisão deve ser a de segui-lo, amá-lo com amor puro e com reta intenção, vivendo segundo a Sua santa Vontade. Ele disse no Sermão da Montanha que quem o seguisse seria feliz, mas pereceria que o conhecesse e o abandonasse:

“Aquele, pois, que ouve estas minhas palavras e as põe em prática é semelhante a um homem prudente, que edificou sua casa sobre a rocha. Caiu a chuva, vieram as enchentes, sopraram os ventos e investiram contra aquela casa; ela, porém, não caiu, porque estava edificada na rocha. Mas aquele que ouve as minhas palavras e não as põe em prática é semelhante a um homem insensato, que construiu sua casa na areia. Caiu a chuva, vieram as enchentes, sopraram os ventos e investiram contra aquela casa; ela caiu e grande foi a sua ruína” (Mt 7,24-27).

Esta ruina a que Jesus se refere é a vida daquele que O conhece, conhece o Evangelho, mas lhes vira as costas, e prefere seguir outros mestres, outros pretensos doutores, e outras filosofias deste mundo.

Uma conclusão lógica é esta: Depois que o Verbo se fez carne, depois que Jesus sofreu tudo o que sofreu por nós, seria insensatez e falta de juízo não segui-lo. Diante da festa do Seu Nascimento, esta deve ser a nossa mais importante decisão: seguir Jesus. Há uma bela música que diz: “Seguir somente a Ti Senhor, seguir somente a Ti Senhor; seguir somente a Ti Senhor, e não olhar atras; seguir seu caminhar Senhor, seguir sem vacilar Senhor; prostrar-me em Teu altar Senhor, e não olhar pra trás…”

É isso ai, seguir Jesus com determinação; sem olhar para trás. Sem desanimar e sem desesperar nunca. Olhando para Ele sempre como diz a Carta aos Hebreus: “Corramos com perseverança ao combate proposto, com o olhar fixo no autor e consumador de nossa fé, Jesus” (Heb 12,1).

Sabemos que seguir Jesus não é fácil, mas é a única coisa sensata que podemos fazer nesta vida. O Santo João Paulo II nos disse: “Não tenham medo, o Senhor ressuscitado caminha conosco”. Nesta fé este Papa santo enfrentou inúmeras dificuldades em seus 25 anos de Pontificado, mas nunca desistiu; nunca se deixou vencer pelo medo. Muitas vezes Jesus disse a seus discípulos, e diz também a nós: “Não temais”. “Eu venci o mundo”.

Mas para viver assim, fortalecido pelo amor de Jesus, que nos dá a paz que supera todo entendimento, é preciso viver em comunhão com Ele, lutando constantemente contra o pecado, o maior mal do mundo. Para isso Jesus nos dá a sua graça, especialmente pelo sacramento da Confissão e da Eucaristia. Sua presença contínua e permanente em todos os Sacrários da Terra, é a garantia de Sua presença amiga a nos acompanhar e socorrer.

Jesus disse que sem Ele não podemos nada. Querer seguir Jesus sem a Sua graça é utopia. Sua exigência supera nossas forças humanas: “Quem quiser ser meu discípulo, tome a sua cruz a cada dia e me siga-me” (Lc 9,23). Só na companhia doce e agradável de Jesus será possível viver este projeto de salvação. Mas é possível. Por isso Ele exige: “Permanecei em Mim e Eu permanecerei em vós. O ramo não pode dar fruto por si mesmo, se não permanecer na videira. Assim também vós: não podeis tampouco dar fruto se não permanecerdes em Mim. Eu sou a videira e vós os ramos. Quem permanece em Mim e Eu nele, esse dá muito fruto, porque sem Mim, nada podeis fazer” (João 15,1-5).

Logo, contemplando o Nascimento de Jesus temos de pedir a graça de “permanecer Nele”, ouvindo-o em Suas Palavras, recebendo sempre o Seu perdão na Confissão, alimentando-nos sempre com o Seu Corpo, Sangue, Alma e Divindade; levando-o aos que não o conhecem, edificando a Sua santa Igreja, orando sem cessar como disse São Paulo. Seguindo assim o Senhor seremos felizes, como garante o Apóstolo:

“Alegrai-vos sempre no Senhor. Repito: alegrai-vos! Seja conhecida de todos os homens a vossa bondade. O Senhor está próximo. Não vos inquieteis com nada! Em todas as circunstâncias apresentai a Deus as vossas preocupações, mediante a oração, as súplicas e a ação de graças. E a paz de Deus, que excede toda a inteligência, haverá de guardar vossos corações e vossos pensamentos, em Cristo Jesus” (Fil 4,4-7).

A melhor maneira de acolher Jesus que chega no Natal é tomar a decisão de segui-lo todos os dias da vida, buscando fazer Sua santa vontade.

Prof. Felipe Aquino da Comunidade Canção Nova

Anúncios